Mas afinal, o que é depressão?

Atualizado: Mar 13

A organização Mundial da Saúde (OMS) considera a depressão o “mal do século”, atingindo milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, cerca de 5,8% da população é afetada pelos sintomas de depressão, sendo essa a maior taxa da América Latina. No mundo, a depressão é o principal fator de incapacidade (7,5%), sendo também a principal causa de mortes por suicídio, com aproximadamente 800 mil casos ao ano. O Sudeste Asiático registra mais casos deste transtorno no mundo, com 60 milhões de diagnósticos. Em seguida estão as Américas, com 57,2 milhões, o que representa 21% da população global. A depressão é uma doença de saúde mental e é capaz de afetar negativamente a forma como a pessoa se sente, como pensa e como atua, podendo causar tristeza e/ou perda de interesse em atividades de seu dia a dia. A depressão ocorre quando o corpo para de produzir neurotransmissores como a serotonina e a noradrenalina, que são substâncias responsáveis por transmitir os sentimentos de alegria e bem-estar. Esse desequilíbrio bioquímico do cérebro é o que gera desânimo e tristeza, estimulando outras reações fisiológicas.


Esse desequilíbrio de neurotransmissores tem uma causa multifatorial, derivada de uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos. Os principais fatores de risco são:


  • Fatores Genéticos: Ter um familiar imediato com o transtorno mental ou um transtorno de humor pode aumentar seu risco.


  • Distúrbio de sono: Os problemas crônicos de sono, como a insônia, estão associados à doença. Embora os especialistas não saibam se a falta de sono cause depressão, episódios de baixo humor parecem acompanhar períodos de sono irregular.

  • Acontecimentos externos: Perder um emprego, divórcio, mudança de cidade, aposentadoria e a morte de um ente querido podem ser eventos causadores de depressão. Porém, eventos felizes, como ter um bebê ou conseguir um novo emprego, podem aumentar o risco de algumas pessoas desenvolverem um quadro de depressão.


  • Abuso de substâncias: Drogas e álcool podem levar a mudanças químicas no cérebro que contribuem para o desenvolvimento da doença. A automedicação com essas substâncias também pode gerar o transtorno.


  • Doenças crônicas: Diabetes, artrite, dor crônica, doença cardíaca, são outros fatores que podem estar associados ao desenvolvimento da doença. Os sintomas mais comuns são a perda de interesse em coisas que antes davam prazer, apatia e mudanças repentinas de peso e humor, irritabilidade, medo, pessimismo, raciocínio lento, perda de libido, insônia, problemas no trato intestinal e dores musculares.

  • É importante diferenciarmos depressão de tristeza. Essa diferenciação pode não ser tão fácil assim de se identificar. A tristeza é uma reação natural a situações difíceis que todos vivem em vários momentos da vida. Sentimos tristeza diante de uma perda, de uma doença, separação, mudança de emprego ou mudança de fase de vida. Já a depressão é uma doença em que a tristeza é excessiva e permanente por muito tempo, vindo sempre acompanhada por outros sintomas. É importante frisar que a depressão tem cura e quanto mais cedo identificar a doença, mais eficaz o tratamento. O tratamento envolve o trabalho combinado de medicação e terapia. O psicólogo e o psiquiatra devem atuar juntos no tratamento da doença. O primeiro vai atacar as causas cognitivas/emocionais e o segundo vai indicar a medicação adequada para acabar com os sintomas de depressão. Os tratamentos são complementares e podem demorar alguns meses, mas em geral os resultados são positivos. Alimentação saudável e moderada, atividade física e momentos de relaxamento também são importantes fatores que auxiliam na recuperação da doença.





#Depressão #Stress #Psicólogo #Psicologia

6 visualizações

Telefone:

+55 19 98227-7969

E-mail:

gustavozancheta.psi@gmail.com

                                                                                                                                   

  • wpp
  • Facebook
  • Instagram

2020 - Gustavo Zancheta© | Todos os direitos reservados.